O Halo consiste numa interface EMG (um switch ativado por um mínimo movimento muscular) que, nesta fase inicial, perante uma questão colocada por terceiros, consegue prever uma resposta baseando-se numa base de dados extensa de informações sobre a pessoa que está a usar o equipamento/sistema, recolhida anteriormente. Quando é colocada uma questão, o sistema sugere algumas possibilidades de resposta tendo em conta a base de dados, e a pessoa seleciona a resposta final que será dada ao parceiro comunicativo com uma ativação muscular mínima. 

 

Na próxima versão do "Halo" que está a ser desenvolvida, espera-se que a pessoa que utiliza este sistema consiga, para além de responder a questões, iniciar também uma interação com os seus parceiros comunicativos. 

 

Para a pessoa com ELA, este sistema poderá ser um complemento ao modo atualmente mais utilizado pelos nossos doentes que é o controlo ocular e o acesso a um software de comunicação complexo, construído de forma personalizada para cada doente. 

 

Assim, o "Halo" poderá ajudar a pessoa na sua comunicação em momentos em que o computador não esteja presente, por exemplo. 

 
A APELA é também um parceiro da empresa Acapela, que disponibiliza uma voz criada em laboratório baseada na voz da pessoa. Assim, no momento inicial do diagnóstico, caso a fala ainda não tenha sofrido alterações significativas, a pessoa com ELA poderá aceder a um guião de frases que gravará. Após essa gravação, as frases são trabalhadas em laboratório e é criada uma fala sintetizada personalizada que, se necessário, futuramente poderá ser colocada no seu equipamento de comunicação aumentativa. 

 
Relembramos que, na APELA, as nossas terapeutas da fala estão disponíveis para quaisquer dúvidas e para arranjarem sempre uma solução para quem não consegue comunicar. 

 
Temos um banco de produtos de apoio à comunicação e conseguimos ajudar mesmo à distância! 

 
Texto: Departamento de Terapia da Fala, da APELA