A APELA colabora com a Sociedade Portuguesa de Esclerose Múltipla (SPEM), na organização de uma das Mesas Redondas que integra o 15º Congresso Nacional de Esclerose Múltipla, subordinado ao mote “Saúde 4.0 – Mover a Montanha“.

O Congresso que, nas palavras da Organização, "procura empoderar o doente e fazê-lo questionar a conjuntura atual da EM, dar espaço às suas ideias para a transformar e decidir sobre o futuro da Esclerose Múltipla na esfera pública", realiza-se nos dias 4 e 5 de Dezembro, conta com 40 oradores, e um conjunto de sessões paralelas e espaços para demonstrações.

No dia 4 de Dezembro, pelas 15h30, a APELA participa numa das mesas redondas desta iniciativa, com o tema Reconhecer, proteger e promover o acesso célere a prestações sociais para pessoas com doenças incapacitantes: Dilemas e desafios antes, durante e depois da pandemia

Neste contexto, proceder-se à distinção entre a Esclerose Múltipla (EM) e a Esclerose Lateral Amiotrófica (ELA), duas doenças que apesar de partilharem o facto de serem ambas neurodegenerativas, diferenciam-se nos sintomas que as caracterizam, na forma de progressão e no respetivo prognóstico. Apesar deste afastamento do ponto de vista clínico, há impactos que são comuns a ambas e é essencialmente sobre um deles que o debate se centra. Tendo como ponto de partida as Juntas Médicas e os atrasos na emissão dos Atestados Médicos de Incapacidade Multiusos (AMIM), em parte provocados pela suspensão das primeiras entre 18 de Março e 18 de Junho de 2020, procurar-se-á compreender que outras alternativas podem ser criadas no sentido de agilizar a emissão do AMIM e de promover uma resposta atempada e desburocratizada, que salvaguarde o acesso igualitário e tempo útil às prestações sociais a todas as pessoas diagnosticadas com doenças incapacitantes.

 A sessão conta com as vozes de Ricardo Rodrigues, Pessoa com ELA, Mafalda Rodrigues, Esposa e Cuidadora de Pessoa com ELA; Eduarda Afonso, Médica Fisiatra no CHUA; Teresa Guia, Assistente Social na APELA; Bebiana Cunha, Deputada do Partido Pessoas, Animais, Natureza (PAN); Paula Santos, Deputada do Partido Comunista Português (PCP) e João Portugal, Coordenador da Unidade Temática 6 sobre Direitos, Liberdades e Garantias, Saúde, Educação e Valorações de Constitucionalidade da Provedoria da Justiça. A moderação do debate é feita por Elsa Frazão Mateus, Presidente da Liga Portuguesa de Doenças Reumáticas.

Conheça o programa completo do evento, AQUI.

Documentos Associados